Bg_site_br

4

Cuidados pessoais DIY

04/09/2017 - 4 Comentários - Receitas | Bicarbonato de sódio, Limpeza


Já faz muito tempo que amo comidas, medicina, e cuidados pessoais que sejam simples e minimamente processados.
Tipo fazer o pão, o iogurte, usar própolis como cura-corte e pôr babosa no cabelo.
Mas teve um dia, lá por 2013, em que fiquei puta da vida com o frizz e comecei a procurar na internet algum produto que desse jeito nos meus cachinhos.
Eis que na busca apareceu o tal do “no poo”: lavar os cabelos sem xampu. E apareceu repetidamente como uma solução para deixar os cabelos lindos. Apesar do estranhamento, resolvi testar. E nunca mais voltei atrás.

De lá pra cá, meu banheiro tem cada vez menos embalagens.
A pele, o cabelo, os dentes – cuidados pessoais em geral – vão muito bem. Inclusive, de vez em quando alguém comenta que estou cheirosa ;) Resumindo, aí vai o que poderíamos chamar de “rotina de beleza” (com as respectivas receitas).

Os ingredientes básicos usados na higiene pessoal não-industrializada são: bicarbonato de sódio, vinagre, óleos vegetais (por exemplo: coco, oliva, arroz. Têm que ser puros e virgens, não refinados). Também uso constantemente soro fisiológico, leite de magnésia (hidróxido de magnésio 1200mg), mel e própolis. E para perfumar, óleos essenciais.


Fora isso, fica na pia um sabonete para as mãos - o único item que compro pronto. (Pra não dizer mentira, também tenho comprado pasta de dente comum).
O princípio é: não precisamos de um monte de produtos para manter o corpo limpo e saudável (e perfumadinho). Principalmente, não é uma boa ideia aplicar produtos antibacterianos.

Se as bactérias próprias da pele estiverem em equilíbrio, são elas que vão nos manter com a saúde, cheiro e oleosidade em equilíbrio.
Sobre isso, o livro “O discreto charme do intestino”, de Giulia Enders, é super esclarecedor.
E para que as bactérias fiquem bem, na maior parte das vezes, basta tomar um bom banho com água e uma escova de cerdas macias ou esponja macia (gosto das buchas vegetais). Assim elas mesmas se regulam.
Como as axilas e o couro cabeludo transpiram mais, ganham um tratamento um pouco diferente.

Cabelos
Em geral, lavo o cabelo dia sim, dia não, como fiz toda a vida. Para dissolver a oleosidade excessiva e deixar o cabelo bem limpinho, uso um “xampu” feito com uma colher de sopa de bicarbonato e 150ml de água.
Coloco este líquido no cabelo úmido e massageio normalmente. Não faz espuma, mas ao enxaguar se sente a leveza que fica.

Em seguida, coloco o “condicionador” desde a raiz até as pontas: é uma solução feita com uma colher de sopa de vinagre de maçã dissolvida em 150ml de água (também pode ser vinagre de arroz ou de vinho). Assim, se restabelece o PH e evita que o cabelo resseque.

Tanto com o cabelo longo como com o cabelo curto, preparo essa quantidade uma vez por semana e deixo no chuveiro em frascos plásticos. Gosto de colocar umas 10 gotinhas de óleo essencial para perfumar. Vou variando o cheiro a cada vez que preparo, conforme o humor.

A proporção de bicarbonato e de vinagre nas soluções pode variar de acordo com as preferências de cada pessoa. Precisa testar para ver o que você gosta.



Pele
O restante do banho é basicamente lavar o corpo com água. Uma bucha vegetal ou escova macia ajudam a esfoliar levemente todos os dias. Além de remover excesso de oleosidade e suor, o uso da esponja/escova ajuda a renovar a pele e a evitar que os pelos encravem.
O rosto eu massageio com uma toalhinha bem macia ou pano de fralda e água.

Caso esteja maquiada, antes de entrar no banho umedeço o rosto com água, coloco na palma da mão meia colher de chá de de óleo hidratante (abaixo explico sobre ele) e espalho entre as mãos, esfregando uma na outra. Aplico no rosto do mesmo jeito que faria com sabonete líquido, massageando.

Quando a maquiagem está toda dissolvida (1 ou 2 minutos) removo com a toalhinha ou fralda bem úmida. Lavo a toalha com sabonete na pia, enxaguo bem, e passo outra vez no rosto.
A não ser que eu tenha me montado toda para uma festa de vestido longo, isso é suficiente. Se tiver usado base, fixador, etc, tenho que repetir o procedimento.

Muito bem. Se sentir que a pele do corpo está seca, ao terminar o banho aplico um pouco do óleo hidratante antes de me enxugar com a toalha. Desta maneira, dá pra espalhar com facilidade, a camada de óleo fica fina e confortável. Não rola a tão temida sensação de oleosidade.
Se sentir que a pele do rosto está seca depois do banho, pingo umas 4 gotas do óleo na mão e aplico da mesma maneira.

Quando o cabelo está longo, aplico umas 4 gotas nas pontas também, no lugar do leave-in.
 
Óleo de hidratação (para rosto, corpo e cabelos)

Dá pra usar óleo vegetal puro tranquilamente, mas sempre gosto de colocar um cheirinho bom. Uso a proporção de 30ml de óleo vegetal para 15 gotas de óleo essencial.

A escolha do óleo vegetal (também chamado de óleo base ou óleo carreador) depende das opções encontradas em sua região que não sejam óleos refinados; do quanto quer de leveza ou hidratação intensa; e do preço.

Considero boas opções “genéricas” o óleo de oliva e o de arroz, que são absorvidos com facilidade e encontro em qualquer mercado por uns R$16,00 o frasco de 400ml. Óleo de semente de uva também é uma boa opção.

Quem tem pele mais seca talvez goste de óleo de germe de trigo, de abacate, amêndoa, girassol. Relembrando: tem que ser óleo não refinado, puro e virgem. Embora seja fácil encontrar óleo de oliva virgem no mercado, os demais óleos vegetais não refinados provavelmente só se vai encontrar em lojas especializadas (empórios que vendem comida "natural", comida a granel) ou farmácias de manipulação.

Óleos essenciais são substâncias muito puras, concentradas e de perfume intenso. São diferentes dos aromas sintéticos porque possuem propriedades terapêuticas que interagem com o sistema límbico (região do cérebro relacionada à inteligência emocional).
É importante estudar um pouco o tema antes de comprar seus frasquinhos, para entender qual perfume te agrada mais, qual tem o efeito desejado. Todo óleo essencial tem propriedades antissépticas em maior ou menor grau, alguns são relaxantes, alguns são excitantes, de acordo com as propriedades da planta de que são extraídos.
Comecei a estudar o tema com o livro “A arte da aromaterapia”, de Robert Tisserand, recomendadíssimo.

Gosto de preparar porções pequenas, de 30ml, porque dura bastante. Reutilizo vidros âmbar (ou compro novo em farmácia de manipulação), porque este tipo de embalagem mantém as propriedades dos óleos, impedindo que oxidem.

O desodorante

Misturo bicarbonato de sódio e leite de magnésia em quantidades iguais na palma da mão e aplico direto na axila. Espero uns 2 segundos até sentir que secou, e pronto. Sei lá, gosto de misturar na hora em vez de deixar pronto com antecedência.
A alcalinidade destes produtos inibe por bastante tempo a proliferação das bactérias que causam mau cheiro no suor, mas não garantem a sensação de axila seca em tempo de calor.

Desodorante é algo difícil de experimentar, porque ninguém quer correr o risco de ficar fedido por aí no meio dos compromissos. Mesmo assim, testei um bocado porque sinceramente nenhuma das opções que eu comprava em farmácia me dava resultado satisfatório quanto a ficar confortável, seca, inodora.
Pelo menos agora fico inodora e sem ingredientes malucos na pele.

Tem gente que põe óleos essenciais no desodorante, ou mistura óleo de coco com amido de milho e bicarbonato, ou usa bicarbonato puro, ou bicarbonato com água... enfim. Das opções que testei, essa aqui é a mais prática e de melhor resultado para mim. Experimente o que fica confortável no seu corpo.

Serve também pra passar no pé de quem tem chulé e/ou sua bastante.
 

Perfume
O perfume que uso é preparado, como o óleo de hidratação, com óleos vegetais e óleos essenciais, só muda a proporção. Aqui, a quantidade de óleos essenciais é bem maior, já que só vou pingar duas gotinhas dele na pele (no momento, estou reaproveitando uma embalagem roll-on, mas enfim).

Um cheiro que gosto muito se faz assim:
Dentro de um vidrinho âmbar pingo
20 gotas de óleo essencial de sândalo
20 gotas de óleo essencial de cedro atlas
10 gotas de óleo essencial de camomila alemã
10 gotas de óleo essencial de turmérico
5 gotas de óleo essencial de pimenta rosa.

Tampo, chacoalho pra misturar bem, e deixo o vidrinho descansar em local escuro (por exemplo, no guarda-roupas) por 7 dias. Passado este tempo, acrescento 25 gotas de óleo vegetal de semente de uva (que é bem neutro, quase não tem cheiro) e 10 gotas de óleo vegetal de copaíba (que complementa o cheiro de madeira).
Chacoalho bem e guardo novamente para descansar por um mês antes de começar a usar. 

Não é um perfume forte, nem tem uma fixação de muitas horas (pode-se dizer que dura bem umas 4 horas). Deixa uma atmosfera agradável ao redor da pessoa, é algo sutil.
Uma ideia interessante é diluir em óleo vegetal uma pequena quantidade deste perfume do dia a dia. Assim o óleo hidratante fica com o mesmo cheiro do perfume.
 

E os dentes?
Também neste quesito há muitas receitas e controvérsias. Desde muito cedo, lembro de ter na cabeça a informação de que a escova e o fio dental é que limpam, e a pasta de dentes só dá frescor e cheirinho. De modos que a pasta pode ser considerada “perfumaria”. Ainda assim, gosto de ter algo para pôr em cima da escova.

Há uns meses, comprei em Curitiba um pó dental que estou achando muito bom, à base de juá e canela. Como estamos acostumados a associar espuma a limpeza, o juá cai muito bem.
Tem quem use cúrcuma em pó, sal de cozinha, bicarbonato de sódio, peróxido de hidrogênio (aka água oxigenada 10 volumes) para limpar os dentes. Nenhum destes me convenceu para o uso cotidiano, acho alguns abrasivos. Não sei.
Mas gostei do pó de juá, então sigo com ele.

Como enxaguante, misturo em 200ml de água filtrada 2 gotas do óleo essencial de hortelã ou de cravo da índia, e uso esta solução para bochechar. Estes óleos essenciais são clássicos para cuidar dos dentes, pelas propriedades antissépticas e pelo frescor.

Outra opção é ficar com um cravo da índia na boca por alguns minutos, como se fosse uma bala. Mas é meio forte... deixo para usar em casos de comer alho demais mesmo.

Por fim, a depilação.

Opto pelo aparelho elétrico de pinças, conhecido como satinelle. Acho ótimo que arranca os pelos pela raiz como a cera, só que sem gerar lixo. E uso também a lâmina.
Os aparelhos de barbear não-descartáveis de metal funcionam melhor do que os de plástico, e na hora de descartar a lâmina é possível reciclar.
A Cristal, que é uma moça maravilhosa, tem um post sobre isso no blog dela Um ano sem lixo.

Quando opto pela lâmina, o gel de depilação que uso é: 2 colheres de sopa de mel puro misturadas a 2 colheres de sopa de óleo de coco derretido. Esta quantidade aqui em casa, devidamente guardada em pote plástico no banheiro, dura uns 2 meses. Aplico sobre a pele com pincel de barbear e pronto.
Para uma versão vegana, é só substituir o mel por gel de aloe vera. 
A mistura se mantém estável por vários meses. Veja: estou me referindo a gel de aloe comprado em farmácia de manipulação, pois o gel extraído da planta fresca não é estável para guardar, e dependendo da variedade pode causar irritação na pele.
Parêntesis: num dia em que acabou o óleo de coco em casa, usei o mel puro e deu tudo certo também. E em outro dia que não tinha nem óleo de coco nem mel, usei óleo vegetal puro (de arroz) e funcionou legal.

Termino o post lembrando que não tenho estudo em química, nem cosmetologia, nem dermatologia. As sugestões que deixo aqui foram encontradas através de experimentação, pesquisas na internet e em livros.
Várias sugestões que funcionam para outras pessoas não funcionaram pra mim, encontrei o que eu gosto experimentando bastante – e é isso que sugiro pra quem quer mudar algum hábito.

Talvez você esteja se perguntando pra quê essa vontade toda de usar produtos de cuidado pessoal feitos em casa, que diferença isso faz. Por exemplo: um amigo que é engenheiro químico me explicou o quanto é agressivo o processo de produção do bicarbonato de sódio. Que este processo consome muita água e energia, e após ir para o ralo tem o mesmo efeito que sabões e xampus comuns (que diminuíram muito seu impacto ambiental nos últimos anos).
Mesmo assim, pra mim ainda faz todo o sentido: preparando os meus produtos de higiene pessoal, consumo UM ingrediente de alto impacto (o bicarbonato), e em baixa concentração. Evito conservantes, parabenos, emulsificantes, corantes, silicones. Evito embalagens, fragrâncias artificiais, alumínio.
Mexo menos com a microbiota na minha pele, ponho o cheirinho que eu quiser.
Economizo dinheiro e gero menos lixo. Em resumo, tem sido bom.

Conte de você: também está nessa onda? Acha esquisito? Ta com vontade de testar?
Espero os comentários! 

Até sair o próximo post, estou pelo insta e facebook :*

03/10/2017 13:47:00

Bruna

Comentário
Oi, Florar!! Cheguei até aqui a partir do Instagram. Muito boa a sua página. Já faz parte do meus "FAVORITOS". Tentarei produzir meu próprio perfume com sua explicação. Comecei a me interessar por Óleos Essenciais depois, não me lembro como, encontrei uma página que falava de aromaterapia. É a Cláudia Aroma, mas infelizmente ela não está mais aqui neste plano. Obrigada pela gentileza Sucesso

Resposta da Flora
Oi querida! Fico muito feliz em receber seu comentário, seja bem vinda! :) Vou procurar conhecer o trabalho da Cláudia, pois gosto muito de aprender sobre aromaterapia! Se ficar alguma dúvida, é só me chamar aqui nos comentários, ou no insta mesmo. Beijos!

24/09/2017 13:31:58

Larissa

Comentário
Flora, que maravilha de blog! Estou adorando tudo! Estava pesquisando barrinha salgada, e acabei ficando por aqui, curtindo várias postagens. Parabéns! Vou tentar implantar essa rotina de beleza básica sem produtos industriais, Beijo!

Resposta da Flora
Oi lindeza! Que delícia receber esse comentário :) Volta sempre! Qualquer dúvida, me chama. Beijos!

15/09/2017 09:55:02

Juliana Valentini

Comentário
Flora, do céu, que aula!!! Espetacular, adorei! Estou bem nessa fase de mudar hábitos e descobrir o que eu gosto. Depois que conheci os sabonetes da Isa (Baobá Saboaria, que te apresentei) já não quero mais qualquer um por todos os motivos que se possa imaginar: qualidade, aromas, ingredientes interessantes, processo de produção, redução de lixo, resultados... E o mesmo anda acontecendo com xampu, desodorante, perfuminhos etc. Vou voltar aqui diversas vezes pra ler de novo e começar meus testes aos poucos, porque tudo de uma vez acho que não vai dar pra mudar. Parabéns pela quantidade de pesquisas, pelos resultados e pela comprometimento em cuidar tão bem de si mesma e de todo o resto. Você inspira demais! Um beijo grande, Ju.

Resposta da Flora
Ju, querida! Receber teu comentário é como ganhar um abraço. Aprendo tanto contigo! Vamos longe trocando saberes e dias gostosos. Beijo grande!

06/09/2017 08:52:03

Elaiene

Comentário
Uauuuu, quanta informação , da pra sentir a leveza, perfume e limpeza daqui..hehehe com certeza vou provar, a limpeza dos cabelos faz tempo que me incomoda , esses produtos e precisa de um para complementar o outro e blá bla blá, vou a prática , agradecida por tanta informação, e adorei a hidratação com óleo, me lembrou a linda Josiane com o óleo de coco. Beijos

Resposta da Flora
Elaine, querida! Que coisa boa receber teu comentário :) Verdade, o óleo perfumado da Josi também é uma delícia, e dá pra preparar mesmo quando a gente não consegue acesso aos óleos essenciais. Depois me conta o que achou desse jeitinho de lavar os cabelos. Beijos!

Deixar um Comentário